Remédios para emagrecer – Funcionam mesmo?

Remédios para emagrecer

Os remédios para perder peso já existem há muitos anos e levantam grande polêmica, especialmente entre o meio médico, que acaba se opondo completamente a ingestão desses medicamentos sem a rigorosa prescrição e um acompanhamento médico.

Quais são os perigos dos remédios para emagrecer?

A cada dia que passa, aparecem muitos produtos ditos como “naturais”, “fitoterápicos”, “sem contraindicação” e com essa promessa de grandes resultados em curto prazo para que aconteça a diminuição e absorção de gordura e também ajudar a emagrecer reduzindo o apetite.

Mas, é pouco falado sobre os efeitos colaterais que geralmente esses medicamentos podem causar. Por essa razão, essas pílulas são bem populares, especialmente nos pacientes que sofrem com o sobrepeso por longos períodos.

Quando vemos uma propaganda que promete aumentar a nossa sensação de saciedade ao longo do dia, fique desconfiado! Pois não existe remédio milagroso, nem fitoterápicos, que tenham a verdadeira comprovação científica que fazem perder peso!

Aqui fica um grande alerta para todos: nunca utilize remédios para emagrecer sem a prescrição médica. Muitos desses remédios são vendidos sem o controle por órgão fiscalizador e também contam com substâncias que podem não fazer bem para o organismo quando são ingeridos sem a necessidade ou acompanhamento médico.

Uma delas é a sibutramina ou a anfetamina que, apesar de realmente atuarem na diminuição do apetite e aumentar a saciedade, podem trazer diversos riscos para os pacientes, inclusive sua vida.

Também vale ressaltar que muitas vezes essas substâncias não estão explicitadas no rótulo, o que dificulta saber o que se você está ingerindo.

Entre os principais riscos e feitos colaterais dos remédios para emagrecer podemos citar:

Confira depois o artigo completo sobre o Supernutra.

Outros perigos dos remédios para emagrecer

Além de todos esses efeitos colaterais citados, que já são grandes para desistir dos remédios para emagrecer, também existem outros. Esses medicamentos podem causar:

  • A dependência química;
  • Pensamentos mais acelerados;
  • euforia;
  • irritabilidade;
  • delírios e
  • degeneração das células cerebrais.

No caso de haver intoxicação aguda, quando o consumo acima da quantia certa diária, podem ocorrer também vômitos, sudorese e calafrios.

Além disso, após interromper o uso do medicamento, pode acontecer a síndrome de abstinência, o que atinge até 87% dos usuários. Nesses casos, pode acontecer o aumento da ansiedade, de pesadelos e humor depressivo.

Emagreça de forma responsável

Se você está pensando em tomar remédios para emagrecer, pense no Lipozepina. Opte também por ter um processo de emagrecimento mais saudável e sem os efeitos colaterais.

Para isso, é indicado que você procure um endocrinologista, que é o médico responsável pelos hormônios e processos metabólicos. Esse é o especialista mais recomendado para tratar da obesidade e também do sobrepeso e poderá identificar:

  • se o paciente possui alguma alteração hormonal que possa estar lentificando o metabolismo;
  • se algum medicamento pode ser utilizado para auxiliar o processo de emagrecimento, considerando todas as contraindicações.

E outro ponto muito importante: avaliará individualmente cada paciente e caso com responsabilidade e respeito que todos merecem.

Além de consultar um endocrinologista, você também podemudar os hábitos diários por meio da dieta e exercícios.

Faça o primeiro comentário a "Remédios para emagrecer – Funcionam mesmo?"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*