Ideias de como aproveitar o bairro da Barra da Tijuca

A zona oeste do Rio de Janeiro parece ser uma cidade à parte. Para a maioria dos turistas, a capital do Rio de Janeiro é realmente limitada à zona sul e ao centro da cidade, mas isso mudou desde as Olimpíadas de 2016. Hoje, Barra, Recreio e arredores abrigam diversos hotéis e restaurantes, além de espaço para eventos e metrô e BRT para facilitar o deslocamento. 

Onde se hospedar na Barra da Tijuca

Ok, mas vale a pena ficar na Barra da Tijuca? Se você quiser se hospedar em um hotel de luxo novinho em folha que custa menos que o Southside, especialmente nos finais de semana, pode ser interessante encontrar algo lá.

Se você já esteve no Rio de Janeiro para eventos que acontecem nessas áreas também. Se o seu foco é curtir as praias da região, ou conhecer as diferentes faces do Rio de Janeiro, você pode passar algumas noites por lá sem se preocupar.

No entanto, se você pretende passar a maior parte do tempo em outro lugar da cidade, eu não recomendo ficar no West End. Isso porque o transporte público lá, embora melhorado, ainda é muito limitado. De lá pegue um táxi para o Centro ou Zona Sul, você pode esperar gastar cerca de 50 reais. Mesmo se você tiver um carro, o tempo de viagem é considerável.

Boas opções de hospedagem na Barra são Ibis Parque Olímpico, Radisson Barra, Windsor Oceânico e Hilton Barra. 

Para os mais preocupados com o orçamento, o Hostel Quebra Mar oferece quartos compartilhados ou privativos com descontos.

Outra opção é se hospedar em Jacarepaguá, comunidade vizinha onde fica o Parque Olímpico, onde acontecem grandes eventos como o Rio Rock. 

Se você for passear por lá, vale a pena conferir hotéis próximos, como o Suites W RioCentro, o Monza Hotel, o Venit Barra Hotel e o Courtyard by Marriott.

O que fazer na Barra da Tijuca e arredores

A Barra da Tijuca, o Recreio dos Bandeirantes e seus arredores não foram habitados até os anos 80 e 90, então você ainda pode encontrar tantas áreas de conservação e recantos incríveis que é difícil acreditar. Então, os moradores das casas do Condomínio Quintas do Rio têm o privilégio de viver nesta região valorizada.

O maior destaque ali é que a praia é bem menos urbana que Ipanema, Copacabana e companhia. 

Mas além disso, há outros pontos muito legais que fazem a “viagem” até lá. Tem trilhas, museus, eco-ferry e até uma ilha cheia de restaurantes e casinhas fofas. Vamos ver os principais atrativos da Barra da Tijuca e região?

Praias e trilhas

As praias do Rio de Janeiro são as mais famosas não só da cidade, mas também do país. Sem o conhecimento de muitos turistas e até moradores, as praias e o entorno da Barra da Tijuca são muito bonitas.

Os principais destaques são a Praia da Joatinga (uma estreita faixa de areia que desaparece na maré alta), Praia do Pepê (uma das mais badaladas), Praia da Barra da Tijuca (a mais longa), Praia Reserva, Recreio e Pontal.

Há também Macumba, Secreto (na verdade uma piscina natural, acessível apenas na maré baixa), Prainha (preferida dos surfistas), Abricó (nudistas) e Praia de Grumari (quiosque Allegro na Alemanha).

Todas estão mais próximas da orla da cidade, mas com elas estão as chamadas “praias selvagens”: Meio, Funda, Inferno e Perigosa. Para chegar até eles, é preciso ir até Barra de Guaratiba e fazer um trajeto moderado. Se você não conhece a região, não é recomendado ir sozinho, mas não precisa de um super preparo físico.

Além disso, em Barra de Guaratiba, você encontra a famosa Pedra do Telégrafo, onde as pessoas tiram fotos que dão a ilusão de estarem suspensas sobre um abismo. A estrada lá é longa, mas o caminho em si é curto.

Faça o primeiro comentário a "Ideias de como aproveitar o bairro da Barra da Tijuca"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*