Doença de Peyronie – Conversando com um profissional de saúde

É importante que os homens com a doença de Peyronie – e seus parceiros – saibam que não estão sozinhos. Muitos homens ficam constrangidos com sua condição ou se sentem nervosos ao discutir isso com um médico. Mas ter a discussão é um passo importante para aprender a administrar a condição. Aqui, vamos discutir como a doença de Peyronie é comum, oferecer razões e dicas para conversar com o médico, sugerir outras maneiras de encontrar apoio e dar uma breve olhada nas pesquisas, tratamentos e prognósticos atuais.

Quão comum é a doença de Peyronie?

A doença de Peyronie é mais comum do que se pode pensar. De fato, estudos médicos publicados mostram que entre 3% e 9% dos homens têm a doença de Peyronie. No entanto, a Associação dos Defensores da Doença de Peyronie acredita que a taxa é maior, uma vez que nem todos os casos são diagnosticados.

A doença de Peyronie pode afetar qualquer homem em qualquer idade, mas a maioria dos homens com essa condição é de meia-idade. Homens com história familiar de doença de Peyronie ou contratura de Dupuytren, um distúrbio do tecido conjuntivo da mão, tendem a estar em maior risco. Alguns cientistas acreditam que o diabetes, a hipertensão arterial e o tabagismo aumentam a probabilidade de um homem desenvolver a doença de Peyronie. Cirurgia invasiva, como a remoção da próstata, pode aumentar o risco também.

Conversando com o médico

A doença de Peyronie é tratada por urologistas – médicos especializados em problemas com o pênis e órgãos relacionados. Mas nem todos os urologistas são experientes no tratamento da doença de Peyronie. Um homem deve se sentir à vontade com seu urologista e confiante de que o médico possui o conhecimento necessário. Se houver alguma dúvida, os homens devem obter uma segunda opinião ou mudar para um novo urologista.

Às vezes, fazer essa primeira consulta é o passo mais difícil. Um homem com a doença de Peyronie pode sentir vergonha de admitir que tem um problema, especialmente com uma parte de seu corpo que define sua masculinidade. Ele também pode se sentir nervoso com o tratamento.

Mas dar esse passo tem vários benefícios:

Resseguro. Um urologista experiente com a doença de Peyronie pode deixar o homem à vontade, dando-lhe os fatos sobre a doença e o que pode ser feito a respeito. Ter um plano de ação específico pode fazer com que o homem se sinta mais no controle da situação.

Referências para aconselhamento e terapia sexual

A doença de Peyronie pode afetar emocionalmente os homens e seus parceiros. Os homens podem se sentir deprimidos porque não podem fazer sexo do jeito que costumavam fazer. Eles podem sentir-se ansiosos quanto à atividade sexual futura. Ambos os pacientes e seus parceiros podem começar a se afastar e comunicar menos. Um médico experiente pode encaminhar os homens e seus parceiros para aconselhamento, o que pode ajudar a resolver esses problemas. Um terapeuta sexual também pode ajudar o casal a se comunicar sobre sexo e sugerir estratégias para melhorar a intimidade no relacionamento.

Orientação individual.

O urologista de um homem conhece sua situação específica e pode responder a perguntas de maneira mais pessoal.
Apoio, suporte. Um urologista pode recomendar livros, artigos e sites confiáveis ​​com mais informações sobre a doença de Peyronie para homens e seus parceiros. Eles também podem sugerir grupos de apoio ou comunidades de suporte on-line onde os homens e seus parceiros possam conversar com outras pessoas em situações semelhantes.

Os homens que planejam sua primeira consulta são encorajados a anotar os detalhes de seus sintomas e quaisquer dúvidas que possam ter. Também é comum trazer fotografias do pênis ereto tiradas de diferentes ângulos. Isso ajuda o médico a ver exatamente que tipo de curva e formação de placa estão ocorrendo. Às vezes os parceiros precisam tirar essas fotos.

Alguns homens escolhem trazer seus parceiros para seus compromissos. Os parceiros podem fornecer apoio e ser um “segundo par de ouvidos” quando o médico explica a condição e o tratamento. Os parceiros também podem pensar em perguntas que não ocorreram ao paciente.

Encontrando Suporte

Homens com a doença de Peyronie não precisam encarar a doença sozinha. Pode ajudar a conversar com outras pessoas que estão tendo problemas e emoções semelhantes. Alguns homens optam por participar de grupos de apoio sugeridos pelo seu urologista.

Comunidades de suporte on-line são outra opção. Na verdade, alguns homens preferem as comunidades on-line porque podem permanecer anônimos e se sentir mais à vontade para se expressar. Uma dessas comunidades on-line pode ser encontrada no site da Association for Peyronie’s Disease Advocates. (Clique aqui para o link direto.)

Homens com a doença de Peyronie podem discutir o problema de homem para homem, usando sua própria linguagem para compartilhar suas preocupações, sugerir maneiras alternativas de serem íntimos, ajudar uns aos outros com problemas de relacionamento e depressão, e oferecer estratégias de enfrentamento. Os parceiros também podem se beneficiar de redes de apoio, compartilhando suas perspectivas com os pacientes e outros parceiros.

O apoio não precisa vir de outras pessoas com a doença de Peyronie. Amigos e parentes confiáveis ​​também podem fornecer um excelente suporte, se um homem se sentir à vontade para conversar com eles.

Pesquisa atual

medico de homem

Os cientistas estão investigando diferentes opções para homens com a doença de Peyronie através de ensaios clínicos. Por exemplo, a Auxilium Pharmaceuticals tem testado um medicamento chamado Xiaflex, que é injetado no pênis. O Xiaflex foi aprovado pelo FDA para tratar a contratura de Dupuytren, uma condição da mão que produz áreas de tecido cicatrizado endurecido semelhante às placas da doença de Peyronie. Pesquisadores esperam que a droga rompa as placas do pênis como se quebrasse o colágeno de pessoas com contratura de Dupuytren.

Outros pesquisadores estão examinando se as pílulas de testosterona e as vitaminas D e E ajudarão os homens com a doença de Peyronie. Injeções de toxina botulínica tipo A, comumente conhecidas como Botox®, também estão sendo estudadas.

Homens que desejam participar de um ensaio clínico devem conversar com seu médico.

Tratamento e Prognóstico

Existem vários tratamentos diferentes disponíveis para a doença de Peyronie. O médico de um homem pode ajudá-lo a decidir qual opção de tratamento é melhor para ele.

Homens com doença de Peyronie podem ter um bom prognóstico para a função sexual, especialmente se o tratamento começar dentro de 6 meses após o início dos sintomas. Para muitos homens, a formação da dor e da placa acaba diminuindo e eles ainda podem desfrutar de intimidade com o parceiro.

Faça o primeiro comentário a "Doença de Peyronie – Conversando com um profissional de saúde"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*