A IMPORTÂNCIA DO MACIÇO DA TIJUCA

O Maciço da Tijuca se estende pelas três principais áreas da cidade: centro, zona norte e zona sul. Além disso, é o mais  importante em termos históricos com relação à evolução urbana do Rio de Janeiro. Então, para conhecer o maciço da Tijuca existem muitas estradas pavimentadas que sobem algumas serras, como a que corta a Serra da Carioca vindo do Alto da Boa Vista até o Jardim Botânico ou a estrada do Corcovado.

É evidente que quando se trata da Floresta da Tijuca, logo se remete a questão das matas intocadas e do tempo dito “natural” do desenvolvimento das próprias matas que compõem o Maciço da Tijuca. No entanto, existem inúmeros processos associados a um período histórico, que ocorreu no século XIX, que culminaram na produção de uma paisagem que desconstrói completamente esta visão “pura” assumida pela Floresta. Entretanto, esta paisagem continua a ser produzida no Século XX através de um viés que passa a explorar o recurso do “natural e do prístino”16, ao invés da perspectiva de produção agrícola que caracterizou o século XIX. 

Após a Floresta passar por quase meio século de abandono, a partir do ano de 1943 que este panorama começou a mudar. Então, devido às modificações políticas no Estado do Rio de Janeiro, efetivamente no ano de 1961 foi definido o Parque Nacional do Rio de Janeiro, que mais tarde, no ano de 1967, viria a ser chamado de Parque Nacional da Tijuca. Desta maneira percebe-se como a floresta passa a ser dotada de uma série de relações que não apenas a ecológica, mas também a econômica, a social e a cultural.

Então, o Maciço é formado por um conjunto de serras e montanhas,  nele está localizado o Parque Nacional da Tijuca, com a Floresta da Tijuca, que é a 3ª maior floresta urbana do planeta, verdadeiro “pulmão verde” dentro da cidade do Rio de Janeiro. De fato, a floresta é um dos diferenciais que fazem do Rio tão especial.

Os belíssimos panoramas de seus diversos mirantes encantam os visitantes. Por exemplo, as Paineiras, a Vista Chinesa, o Mirante Dona Marta e a Vista do Almirante. Além disso, no Parque Nacional da Tijuca consegue-se desfrutar o silêncio, a calma, o ar puro, a temperatura amena e o ambiente inspirador da floresta tropical.

Por outro lado, as caminhadas em trilhas, banhos de cachoeira, passeios de bicicleta nas vias asfaltadas e piqueniques são algumas das atividades recreativas permitidas. Através de caminhadas moderadas, descortinam-se soberbas vistas na Pedra Bonita (693 m), Pico do Papagaio (987 m) e Pico da Tijuca (1.021 m). Bem como, com caminhada um pouco mais árdua, aprecia-se o panorama espetacular da Pedra da Gávea (844 m). 

Em uma área com cerca de 3.953 hectares, o Parque, tem clima variado devido à orientação geográfica do Maciço da Tijuca, apresenta abundante precipitação de chuva, com ausência de período seco no inverno. Dessa forma, tem uma rica flora com 1619 espécies vegetais. Porém, destas aproximadamente 433 estão ameaçadas de extinção. 

Por outro lado a fauna da Floresta da Tijuca tem ao todo, 328 espécies animais, dentre anfíbios, aves e mamíferos. Por exemplo,  macacos-prego, cachorros-do-mato, quatis, jararacas, cobras e entre outros animais. Entretanto, 16 espécies dessa rica fauna estão ameaçadas de extinção.

No Parque Nacional da Tijuca pesquisas são realizadas dentro do Parque Nacional da Tijuca, com temas que abordam diversas questões. Por exemplo, envolvendo biologia, geografia, botânica, hidrologia, ciências sociais e muitas outras áreas de estudo. 

A Zona Sul está localizada ao sul do Maciço da Tijuca, ela abrange os bairros de Ipanema, Botafogo, Catete, Copacabana, Lagoa, Flamengo, Gávea, Glória, Humaitá, Jardim Botânico, Laranjeiras, Leme, Urca, Vidigal, Cosme Velho, São Conrado, Rocinha e Leblon. Muitos desses lugares citados são famosos mundialmente.

Nesta região estão localizadas as mais famosas praias e hotéis ( como por exemplo o Hotel Fasano), sendo majoritariamente a região mais nobre do município. De fato, esse costuma ser o local preferido dos turistas para se hospedar por ter mais atrativos e por ser mais segura. Além disso, os bairros são repletos de grandes shoppings (como o Shopping Rio Sul), serviços em geral.

Os condomínios da zona Sul tem uma bela vista para as montanhas do Maciço da Tijuca, como o Morro do Corcovado ou Morro da Urca. Por exemplo, a Cobertura Duplex Areia Leblon, terá uma bela vista panorâmica para a cidade. De fato, o lançamento é muito aguardado pelo mercado imobiliário, pois fica na Avenida Bartolomeu Mitre, que é uma importante via do Leblon.

Faça o primeiro comentário a "A IMPORTÂNCIA DO MACIÇO DA TIJUCA"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*